sexta-feira, 20 de novembro de 2009

São Paulo: AUDIÇÃO MIAMI CITY BALLET NA PULSARTE


Pulsarte - Arte em movimento
escreveu


AUDIÇÃO MIAMI CITY BALLET NA PULSARTE

 23 de Novembro – segunda

 

SUMMER PROGRAMN – 2 SEMANAS – JULHO 2010 – MIAMI CITY BALLET SCHOOL

 

                         Com o resultado que viemos obtendo em 2008 e 2009, nesta grande parceria com o Miami City Ballet, já estamos iniciando o projeto de 2010. As MASTER CLASS, para os summer de 2 semanas e posteriormente para os de 5 semanas. No 1º ano realizamos audição para 82 alunos, com 45 aprovados e 2 bolsas de estudos, levamos  9 estudantes no Summer de 5 semanas e 15 no de 2 semanas, num resultado final de 5 estudantes aprovados para escola e 2 bolsas de estudos para o ano letivo; no 2º ano audição para 108 alunos, com 65 aprovados, 7 bolsas de estudos, levamos 14 no Summer de 5 semanas e 18 n o de 2 semanas, num resultado final de 6 estudantes aprovados para o ano letivo e todos com bolsas de estudos. Consideramos um numero bastante importante para a presença do Brasil, num Summer onde se encontram americanos, ingleses, franceses, japoneses, colombianos, argentinos, italianos, suíços e mexicanos; totalizando 220 estudantes.

 

Convidamos você a integrar nosso grupo de parceiros, abaixo todas as condições que precisamos para que possas ser nosso representante na sua escola. É importante citar que o Summer de 2 semanas realizar-se-á no período de 19 a 31 de Julho de 2010 para estudantes entre 8 a 13 anos. o Summer de 5 semanas realizar-se-á no período de 28 de Junho a 31 de julho de 2010, e, é para estudantes entre 12 a 19 anos.

 

1.      Período das audições (MASTER CLASS) em Novembro de 2009, para o Summer de 2 semanas:

Dia 23 de Novembro – São Paulo –

 

Local : PULSARTE ARTE EM MOVIMENTO 

Rua Pereira Leite, 55 - Alto de Pinheiros Próximo ao Metrô Vila Madalena ( Altura do n. 2046 da heitor penteado ) 

Horários

10h ás 11h00 - Registro de 8 á 11 anos

11h ás 12h30 - Audição de 8 á 11 anos

 

12h30 ás 13h30 - registro de 12 á 13 anos

13h30 ás 15h - audição de 12 á 13 anos

 

Meninas – Leotard preto, meia calça salmon, sapatilhas de meia ponta, e para acima de 11 anos sapatos de ponta, cabelos presos em coque tradicional

Meninos – Camiseta branca, malha preta, meia soquete branca e sapatilha branca.

 

Inscrição:

Ficha devidamente preenchida conforme modelo que enviaremos;

1 foto 10x 15 de corpo inteiro, preferência em arabesque, 1 foto de rosto;

Taxa de U$ 40,00

                

Mais informações em São Paulo:

Michelle Ghidotti ( 5612 3835/ 5612 5812/ 7676 6663 )

ENTREGAR AS FICHAS PREENCHIDAS

Rua cardoso jarros, 73. Jd Domitila SP zona Sul de SP

proximo a Interlagos

Falar com Vera

 

Desejamos sucesso e boa sorte para todos!

Equipe Pulsarte

 

São Paulo: Dança - Finalistas do PREMIO TEATRO DE DANÇA


Canal Aberto
escreveu

Espetáculo vencedor do

1º Prêmio Teatro de Dança

será anunciado no dia 23 de novembro

Somente um dos 12 finalistas receberá o cheque de R$ 30 mil

A Secretaria de Estado da Cultura, por meio do TD - TEATRO DE DANÇA, sob gestão da APAA (Associação Paulista dos Amigos da Arte) e apoio do Sesc São Paulo, anuncia, no dia 23 de novembro, às 20h, na sede do Teatro de Dança, o espetáculo vencedor da primeira edição do PRÊMIO TEATRO DE DANÇA.

Após votação popular, realizada por meio de urnas distribuídas em teatros e  centros culturais de 32 cidades do Estado de São Paulo, chegou-se a 12 finalistas que concorrem ao prêmio de melhor espetáculo de dança de 2009 e levam um cheque de R$ 30 mil como premiação. Os finalistas são (em ordem alfabética):

·         Ares Familiares, da Caleidos Companhia de Dança (São Paulo);

·         Crendices, Quem Disse?, da Companhia de Danças de Diadema (ABC/São Paulo);

·         Dance No Teatro De Dança, noite especial dança de salão, com a participação de Vitor Costa, Karina Carvalho e Andrei Udiloff (São Paulo);

·         De. Gelo, da Siameses Companhia de Dança (São Paulo);

·         Dolores, da Mimulus Companhia de Dança (Belo Horizonte);

·         O Quebra-Nozes, da Cisne Negro Companhia de Dança (São Paulo);

·         Por Instantes De Felicidade, da Quasar Companhia de Dança (Goiânia);

·         Sair Pro Mar, do Ballet Stagium (São Paulo);

·         Serenade Gnawa, da São Paulo Companhia de Dança (São Paulo);

·         Tango Sob Dois Olhares, da Raça Companhia de Dança;

·         Três Coreografias, da Natura Essência Companhia de Dança (Santos);

·         Vem Dançar, da Cisne Negro Companhia de Dança (São Paulo).

Criado em 2008 pelo Governo do Estado de São Paulo, o PRÊMIO TEATRO DE DANÇA tem como finalidade estabelecer um canal de comunicação entre públicos e artistas, traçar um mapeamento de obras e plateias de espaços de difusão da dança, além de fortalecer e incentivar a produção dessa arte em todo o estado.

          A cerimônia do dia 23 de novembro reunirá convidados da área de dança, artistas das companhias concorrentes e os conselheiros do PRÊMIO TEATRO DE DANÇA: Celso Curi, Regina Muller, Jorge Vermelho, Edison Paes de Melo, Simone Avancini, José Possi Neto, Sueli Silveira e Cássia Navas. No programa, haverá uma apresentação especial do espetáculo Noiva Despedaçada, da keyzetta e cia.

"O desafio deste Prêmio foi colocar à prova um modelo de enquete que escutasse o campo da dança por meio de seus públicos, em formato construído ao longo destes doze primeiros meses", afirma Cássia Navas, doutora em dança (UNICAMP), especialista em gestão e políticas da cultura e também consultora do TEATRO DE DANÇA.

A ação envolveu 137 companhias/grupos e 168 espetáculos. Os votos válidos apurados foram 17.839 de um total de 19.325 cédulas em branco distribuídas durante o ano.

 

A importância do Prêmio Teatro de Dança, por Cassia Navas

"Primeiramente, o PRÊMIO TD é ação de gestão pública, estabelecendo-se como uma opção feita entre muitas, tanto ao que toca a seu formato – um prêmio de valor monetário a ser aferido segundo um marco regulatório difundido entre todos, quanto no que diz respeito a seus operadores - técnicos gestores de um equipamento público da Secretaria de Estado da Cultura, sob a responsabilidade, através de contrato de gestão, da APAA – Associação Paulista dos Amigos da Arte.

Em segundo lugar, o Prêmio foi pensado como uma nova forma, nunca tentada, de se colher as impressões do público sobre o que assistem em nossos palcos, em tempos em que a diversidade da dança impera, seja nos espetáculos, seja em seus formatos de difusão, salas, turnês, eventos. Não se trata, portanto, de um prêmio atribuído por especialistas. Não se trata tampouco da escolha entre  obras divulgadas, durante período determinado, por meio específico de comunicação. É uma ação que tem por base um desafio a mais, para que possamos ter mais dança em muitos aspectos de nosso cotidiano".

 

Como funcionou a votação

Para ter o direito de concorrer, as companhias brasileiras que participaram do PRÊMIO TEATRO DE DANÇA enquadraram-se em critérios da apresentação de obras de dança profissional, realizado em centros de difusão cultural no território do Estado de São Paulo. Esses teatros teriam que possuir uma urna reservada para votação, e as coreografias deveriam ter, necessariamente, mais de 20 minutos de duração.

As urnas foram distribuídas em 65 espaços e/ou teatros em todo o Estado. O público recebeu, antes de entrar nas salas, cédulas onde constava uma variante de notas de 1 a 9 para a avaliação da coreografia. Após a apresentação, o espectador assinalava a nota e depositava na urna. Cédulas que não estivessem preenchidas com todos os dados necessários (nome e endereço) não foram computadas. O vencedor do PRÊMIO TEATRO DE DANÇA será a companhia que conquistar a melhor média de nota atribuída pelo público votante por espetáculo.

Para fazer a análise dos dados recebidos durante esse ano de captação de votos nas cidades, foi feito um levantamento estatístico, coordenado pelo Prof. Titular do Departamento de Contabilidade e Atuária da FEA/USP, Gilberto de Jesus, para que mediante às duas variáveis estabelecidas (número de votantes e nota atribuída em cada espetáculo), fosse conferido o prêmio de melhor espetáculo de dança de 2009 ao mais bem votado.

 

Serviço:

Prêmio Teatro de Dança – noite de premiação

23 de novembro de 2009, às 20 horas

TD - Teatro de Dança

Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália, São Paulo, SP, Brasil

Telefone da bilheteria: 2189 2555 Informações: 2189 2557

Capacidade: 278 lugares Estacionamento: R$ 15,00 com manobrista

Ar-condicionado e Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais

www.teatrodedanca.org.br 

Informações para imprensa:

Canal Aberto Assessoria de Imprensa

Márcia Marques - (11) 3798 9510 / 2914 0770/ 9126 0425

www.canalaberto.com.br

Santo André-SP: Treme Terra


Hellen Sheila Alvarenga
escreveu


Treme Terra no SESC Santo André



Sábado, dia 21 de novembro, às 17:00 h


Com enfoque sociocultural, e auto intitulado como um espetáculo afrocontemporâneo originado das oficinas de percussão e danças afrobrasileiras ministradas no Morro do Querosene, este trabalho se insere no contexto da difusão dos ritmos característicos da diáspora africana e seus desdobramentos no Brasil. Ancorando-se numa mistura entre ancestralidade e modernidade, o grupo alia uma proposta de transformação social a uma valorização da potência jovem e modernizadora sobre as tradições herdadas.

BATUQUE NA COZINHA: Negro é Resistência
Dia: 21/Nov - 17h
Local: SESC SANTO ANDRÉ
Rua Tamarutaca, 302
Vila Guiomar 
Santo André - SP
 
Informações: (11) 9337-7515


São José dos Campos-SP: O BRASIL QUE CANTA E DANÇA


SESC S. J. Campos


O BRASIL QUE CANTA E DANÇA


Dia(s) 22/11 

Domingo, às 16h.


Com Grupo Folias e Folguedos. Espetáculo musical com danças de Norte a Sul do Brasil, com ênfase nas festas com influências dos negros africanos e dos índios nativos. Repertório: carimbó, bumba-meu-boi, martelo agalopado, coco, frevo, toadas, lundu, cururu, siriri, fandango, chula, congada, catira, vilão e contra-dança.


Solário. 450 lugares.

Grátis


saiba mais

São Paulo: CALEIDOS CIA DE DANÇA


Instituto Caleidos
caleidos@caleidos.com.br
escreveu

CALEIDOS CIA DE DANÇA

direção Isabel Marques



clique para ampliar


Coreológicas Ludus segue com temporada em São Paulo

Dia 22 de novembro, domingo, 16h, Estudio Nave, Vila Madalena  -  Rua Dr. Luis Anhaia, 47.

Direção: Isabel Marques e Fábio Brazil, com Luciana Nunes, Samanta Roque, Renata Baima, Carolini Lucci.

Estagiários: Luiz Ramos, Larissa Verbisck.

Música: Divan

Iluminação: André Prado

Figurino: Mariana Piccolli

Dur: 60 min. Livre. Entrada promocional; R$5,00.

 

LUDUS é um momento de releitura após 13 anos de trajetória e desenvolvimento da concepção do Coreológicas, foram 7 montagens no Brasil e uma no exterior. Isabel Marques e o elenco atual recuperaram 22 coreografias (proposições cênicas baseadas no temas de Laban) do repertório apresentado a mais de 10 mil espectadores de 1996 a 2009. Cada apresentação de LUDUS será única, será um arranjo possível de 5 entre as 22 coreografias recuperadas.  A escolha das coreografias de cada apresentação será feita  por sorteio para aquela encenação e interação com o público; são os jogos do acaso articulando as proposições artísticas do Coreológicas. Cada apresentação de LUDUS será um convite diferente aos diferentes corpos para apreciar, dançar e conhecer a ludicidade da dança. Contemplado pelo 6º. Edital de Fomento à Dança do Município de São Paulo

 

Diálogos com quem faz Arte, após o espetáculo Coreológicas Ludus

22, domingo, 17.30h,  após o espetáculo:

Com Vera Torres  (Florianópolis/SC) – tema: corpo

desde 2001 o Caleidos organiza e produz o evento no intuito de travar relações entre o público paulistano e profissionais da Arte que atuam em outros espaços geográficos. Já participaram do evento a Profa. Dra. Sue Stinson (EUA), Profa. Dra. Valerie Preston-Dunlop (Inglaterra), Profa. Dra. Ana Mae Barbosa (Brasil), Profa Dra. Ana Macara (Portugal).  Em 2009, com apoio do 6º. Edital de Fomento à Dança do Município de São Paulo, o evento vincula-se ao espetáculo Coreológicas Ludus convidando artistas e pesquisadores a oferecerem em diálogo com o público sua leitura do espetáculo e a exploração de um tema despertado pelo Coreológicas.

 

 

Contato:

Isabel Marques caleidos@caleidos.com.br  11 9654 4779

Info www.caleidos.com.br  11  3021 510



São Paulo: Sala Crisantempo: OFICINAS EM NOVEMBRO ::: 'KATHAK' e 'DANÇATERAPIA'


Sala Crisantempo
escreveu




OFICINAS em Novembro
 

Dias 20 e 21/11/09 (sexta e sábado) das 14h às 17h

KATHAK com Kanchan Maradan (Índia)

Valor R$ 150,00




Valor R$ 180,00
clique para ampliar

Informações e Inscrições

Sala Crisantempo
TEL.: 11 3819-2287
Rua Fidalga, 521 - Vila Madalena
www.salacrisantempo.com.br


Montevidéo-Uruguay: festejo 21 de noviembre y otras actividades - taller crr.


Lucía Valeta
luvaleta@hotmail.com
escreveu

NOVIEMBRE
taller
de
danza
y
creación
casarrodante


el sábado 21 de noviembre festejamos que tenemos piso nuevo y ganas de bailar.
                Trabajos coreográficos e improvisaciones de estudiantes y docentes.  ¡Los esperamos!
                    comienza a las 20.30 hs.
 colaboración $30
 
participán:
Grupo: Eza!  con: "Tarde"
Silvina Baico
Natalia Bouzas
Valeria da Fonseca
Veronica Pandolfo
Lucia Perotta

y también:
 
Adriana Belbussi
Laura Falcon
Leticia Falkin
Ruth Ferrari
Vera Garat
Lucía Valeta

collage: A. Belbussi

Pensando el Movimiento

   TALLER DE TÉCNICA ALEXANDER




Podremos comprender y vivenciar algunas de las ideas básicas de la Técnica Alexander a partir de movimientos muy simples y cotidianos luego de darnos el tiempo de distender la musculatura y reconectarnos sensorialmente. 

Exploraremos un modo de movernos diferente al habitual,   permitiendo  la distencion  de un modo conciente y en actividad. Aprender a usar la fuerza de gravedad a favor del movimiento y no en contra resulta esencial para minimizar el esfuerzo en nuestro andar.

Conociendo algunas ideas básicas de nuestra anatomía podremos entender mejor como se relacionan y equilibran las diferentes partes de nuestro cuerpo, dando lugar entonces a un movimiento mas orgánico e integrado.

El taller estara dirigido a todo aquel que desee recuperar un buen uso de su propio cuerpo en cualquier actividad que realiza. En esta primera instancia podremos ver algunas de las ideas básicas de la Técnica Alexander, que luego sera posible profundizar de modo individual para quienes así lo deseen.

Fecha:  viernes 27 de noviembre

Horario: 14 a 17:30

inscribirse previamente mandando correo a : casarrodante@montevideo.com.uy

Costo:  $600

Lugar:   taller Casarrodante / danza y creación

                   Maldonado 1921 esq. E. Acevedo

Toia Correa se graduó en Londres como profesora de la Técnica Alexander en el año 2003. Desde entonces dió clases de modo individual y grupal a personas de diversas disciplinas tanto en Londres como en España. A mediados del 2004 se mudó a Uruguay donde tambien enseñó la Técnica en su estudio del Parque Rodo. Actualmente reside en Belgica y enseña la Técnica en la ciudad de Gantes y Bruselas.

Por mas información sobre la Técnica Alexander: www.tecnicaalexandertoia.com

 ------

__________________________________
 
 Fiesta de fin de año - sábado 12 de diciembre- explanada lateral de Facultad de Ingeniería
 
*  En verano clases a partir del 11 de enero. 

taller casarrodante
Maldonado 1921 - Montevideo

São Paulo: Espaço de Dança Andrei Udiloff: Vamos Dançar?


Andrei Udiloff
escreveu


clique para ampliar

São José do Rio Preto-SP: Faladores


SESC Rio Preto


FALADORES


Dia(s) 21/11 

Sábado, às 20h30.


Com a Cia Mario Nascimento (Belo Horizonte - MG). O espetáculo aborda o tema oralidade, trazendo para a cena diversas formas de comunicação através do som, da música, da palavra, poesia, dança, ação e movimento. A necessidade do homem em se expressar e, apesar das barreiras, se fazer entender. A arte como seu principal objetivo: comunicar. É movimento, gesto, palavra e ritual. A oralidade como performance e a performance como definição de comunicação, dando ênfase à natureza da linguagem oral e gestual. O gesto e a palavra como sensações humanas e forma eficaz de comunicação poética e dramática. Direção e coreografia de Mário Nascimento, trilha sonora de Fábio Cardia e assistência de direção e de coreografia de Rosa Antuña.


No Teatro.

R$ R$ 8,00

[inteira]

R$ R$ 4,00

[usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante]

R$ R$ 2,00

[trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes]



saiba mais

São Paulo: ÉdiPUS REX - A MÁQUINA DESEJANTE + INFORME O LUGAR CIA. CORPOS NÔMADES


Cia. Corpos Nômades Nômades
escreveu

 
ESTREIA DO ESPETÁCULO:
 
ÉDIPUS REX
A MÁQUINA DESEJANTE
 
Direção de João Luis Minelli Andreazzi *
 
dia 13 de novembro de 2009 - sexta -  às 21h00
 
 
 fotos Henk Nieman 

A dança contemporânea dialogando com a cultura do Carnaval e do Hip-hop (Dj,Grafiteiro e MC) .

                      Ficha Técnica:

Direção e Coreodramaturgrafia: *João Luis Minelli Andreazzi.

Elenco: Bruna Dias, Isabella Franceschi, João L. M. Andreazzi*, Ricardo Silva, Tais Magnani e Tiago Teles

Mestre Sala: Gabi

Grafiteiro e cenário: Tota

DJ: Dan-Dan

Rapper-virtual: Terra Preta

Assessoria Poética Dramatúrgica: Claudio Willer

Composição da Trilha Sonora: Vanderlei Lucentini

Figurinos, Cenário e  Adereços: Nicea Corrêa

Vídeo-Arte: Bruno Cucio,  Cris Lyra, Guilherme Severo e Marcela Sneider (Sina Filmes)

Fotografo: Henk Nieman .

Designer Gráfico: Rafael  Benthien

Confecção e montagem do Cênario: Djane Borba

Assessoria de imprensa: Canal Aberto

* João Luis Minelli Andreazzi  (nessa monatgem João Andreazzi – acrescenta seu nome completo somado ao sobrenome materno)  

As inspirações poéticas para essa montagem foram:

A famosa trilogia de Sófocles sobre a "lenda/mito" de Édipo.

Édipo Rei de Sófocles transformou-se em ícone moderno e pós-moderno por criar personagens que foram adotados pela psicanálise e filosofia, ao expressarem os mais secretos desejos humanos. O relato dessa tragédia, advinda de uma lenda grega, foi fundamental para a concepção do espetáculo, pois permitiu ampliar o leque de imagens e movimentos.

A história de Édipo – filho de Laio e Jocasta, pai de Etéocles, Ismênia, Antígone e de Polinices  – é considerada a  tragédia  das tragédias,  ao colocar em foco questões como o parricídio e o incesto; mas também é motor do pensamento e da pesquisa de questões como as das oposições e interações entre o público e o privado, a norma e a transgressão, o destino e a invenção.

A analise desconcertante e complexa deste mundo capitalista e esquizofrênico por Fêlix Guattari e Gilles Deleuze.

O Anti-Édipo – Capitalismo e Esquizofrenia, obra de Deleuze e Guattari, foi primordial para essa nova montagem; em especial  o capítulo 1, "As Máquinas Desejantes". Seus autores, contrapondo-se à psicanálise de Sigmund Freud e  inspirado-se em diversos escritores, principalmente em Antonin Artaud, fazem um strip-tease de órgãos, despindo o ser humano, em seus estudos sobre a sociedade contemporânea.

      É de pus, pústula, uma ferida ilustre, ÉdiPus uma máquina desejante.

O Corpo e a cultura que o envolve; a dança contemporânea pesquisada pela  Cia. Corpos Nômades interagindo com as culturas do Carnaval e do Hip-Hop.

Essas culturas tão universais conectam-se à idéia do nomadismo, que fundamenta tanto o surgimento quanto o conceito da linguagem corporal da Cia. Corpos Nômades. Outros pontos de conectividades das escolhas para essa montagem são a noção de "lugarização", além de haver uma referência ao publico e o privado; e, no caso do Carnaval/carnavalização, com a lenda de Édipo, no que diz respeito ao seu bisavô Lábdaco: este reprimiu o culto das bacantes, que ganhavam extrema influência religiosa e política na cidade. Teria profanado um altar a Dionísio, o que provocou a fúria das bacantes, que o mataram por esquartejamento.     

Essas fontes de inspiração que pairaram e se infiltraram nos corpos nômades da Companhia conectam-se à idéia da coreodramaturgrafia para construir um alicerce "liso e estriado", densamente imagético, povoado por referências: os corpos masoquistas, esquizofrênicos e paranóicos que aparecem nas análises de Deleuze e Guattari; a bissexualidade de Laio com Crisipo; o enigma da esfinge para Édipo ("Qual o animal que pela manhã anda com quatro patas, a tarde com duas e a noite com três patas" – ao que ele responde: "O homem"); a luta de Etéocles e Polinices, filhos de Édipo, pelo poder; Antígona, a irmã emparedada; a linhagem de coxos que envolve o próprio Édipo;  a cegueira profética tanto de Tirésias quanto de Édipo.

Assim é dada continuidade ao desenvolvimento investigativo-cênico que chamamos de coreodramaturgrafia, em que a dança se funde com a dramaturgia, originando o sentido cênico do corpo contemporâneo, numa fusão do movimento corporal e vocal expondo um corpo falante que orquestra a cena.

Breve Histórico:

A idéia de envolver as culturas do carnaval e do hip-hop com a dança contemporânea surgiu em 2000, quando o espetáculo OOZE/EZOO ainda estava em cartaz. Essa obra teve como inspiração os poemas de Samuel Beckett e a interação com a cultura do hip-hop. Desde então, de 2000 até 2009, foram realizados alguns experimentos no sambódromo de São Paulo e no estacionamento dos carros alegóricos das escolas de samba (2002, 2006 e 2009), eventos esses acompanhados pelo fotografo Henk Nieman. Também ocorreram alguns bate-papos sobre O Corpo e a Cultura que o Envolve, com a participação do Mestre-Sala Gabi e o grafiteiro Tota, nos  SESCs Pompéia (2001) e  Ipiranga (2002), um work in progress que se chamou Treme-Terra no SESC Consolação (2001), e agora em 2009 chega-se ao resultado de ÉdiPUS REX – A Máquina Desejante. 

Por Claudio Willer

A produção imediatamente anterior da Cia. Corpos Nômades, Hotel Lautréamont – Os bruscos buracos do silêncio, adaptou Os Cantos de Maldoror de Lautréamont: obra consagrada, é certo, porém desconhecida para boa parte do público. Agora, apresenta uma obra universalmente conhecida – quem sabe, o relato mais universal, junto com aquele da criação do mundo, de Adão e Eva, em Gênesis. É a história do herói que matou o pai, venceu a Esfinge, tornou-se rei de Tebas, casou-se com a mãe e, como expiação, arrancou seus próprios olhos. Ou melhor, são histórias que se cruzam na trilogia de Sófocles (Édipo Rei, Édipo em Colona, Antígona), de Édipo, Jocasta, Laio, Tirésias, Creonte, Antígona...

Seus sentidos, derivados da universalidade do mito, são notórios. Em primeiro lugar, aquele clássico, teatralizado por Sófocles, sobre os limites da condição humana. Os deuses tudo podem, inclusive praticar incesto e parrícidio; os humanos, não: têm que ater-se a limites. Heróis os ultrapassam; por isso, são sacrificados pelos deuses; mas, por seu heroísmo, ganham lugar no Olimpo, ou em algum posto destacado no reino dos mortos. O sentido moral da tragédia clássica é esse, da precariedade da condição humana frente aos deuses e ao destino. A propósito, muito já se escreveu sobre o pessimismo e fatalismo gregos, sua visão trágica de mundo (Mircea Eliade, E. R. Dodds em Os Gregos e o Irracional, etc).

Do Édipo sofocleano e do valor exemplar do mito decorrem as contribuições à sua interpretação. Uma delas, aquela de Freud, ressignificou o mito: hoje, lemos Édipo; mas entendemos Freud. O anti-Édipo, livro de Gilles Deleuze e Félix Guattari, é na verdade um anti-Freud: a esquizoanálise, proposta por esses autores, é crítica da psicanálise convencional.

Para a antropologia moderna, também sublinhando a universalidade do mito, obedecer ao tabu do incesto é pré-condição para a cultura; ou seja, para viver em sociedade. É interessante como, para Georges Bataille, pensador da transgressão, a experiência erótica, o verdadeiro gozo, requer a quebra de tabus. É o que sustenta, partindo justamente de Freud e de Lévi-Strauss, em O Erotismo. Autor de narrativas que são variações sobre o tema de Édipo – como Ma mère, Minha mãe, na qual um filho se relaciona com a mãe devassa, e Histoire de l'oeil, História do olho, no qual há sexo fetichista com olhos desorbitados –, Bataille é um dos autores citados, junto com Samuel Beckett e Antonin Artaud, em O anti-Édipo.

Do complexo ensaio por Deleuze e Guattari pode-se reter duas frases, possíveis chaves desta encenação pela Cia. Corpos Nômades:

"Édipo supõe uma fantástica repressão das máquinas desejantes"

"O que colocar no triângulo edipiano, com que formá-lo?"

Em cena, as "máquinas desejantes"; e as permutas, as possibilidades de formação do triângulo – e de outras geometrias, envolvendo o conjunto de corpos dos personagens da tragédia – envolvendo, quem sabe, a todos nós.

Mas o que encena a Cia. Corpos Nômades? Édipo ou o anti-Édipo? Diria que ambos: o que se passa em cena é um jogo entre interpretações, as clássicas e aquela transgressiva. João Andreazzi e os demais integrantes do elenco dançam, expressam-se, apresentam-se como ideogramas ou emblemas, movidos pela tensão entre esses pólos. Oferecem-nos um trans-Édipo. Simbolizam – inclusive através dos adereços e máscaras atemporais, bem como da participação do sambista, do disk-jockey e do grafiteiro, mais o repertório musical variado – a universalidade do mito; e dos anti-mitos, das possibilidades de reinterpretação do relato originário.

Deixar de ater-se aos limites impostos pela condição humana (ou pela cultura, diriam os intérpretes modernos do mito): isso não seria um modo de superá-la? De instaurar um novo homem? Ou uma nova cultura? Um novo corpo? Penso que João Andreazzi e seus colaboradores exibem Édipo e anti-Édipos; mas apontam para estas palavras finais de Artaud: "Quem sou eu? / De onde venho? / Sou Antonin Artaud / e basta-me dizê-lo / como só eu o sei dizer / e imediatamente / verão meu corpo atual / voar em pedaços / e se juntar / sob dez mil aspectos / notórios / um novo corpo / no qual nunca mais / poderão me esquecer."

ÉDIPUS REX - A MÁQUINA DESEJANTE  - serviço

O LUGAR - Cia. Corpos Nômades
Rua Augusta, 325 - São Paulo -Brasil
Telefax: 55-11-3237-3224

Ingresso: R$ 15,00 inteira e R$7,50 a meia entrada

www.ciacorposnomades.art.br
ciacorposnomades@uol.com.br
ciacorposnomades@gmail.com

 
 Oficinas e workshops Gratuitos:

Eventos com a Cultura do Hip-hop

  Oficina de Graffiti com  TOTA, de 24 a 26 de novembro das 14h00 às 17h00, na sede da Cia. Corpos Nômades. Público Alvo: grafiteiros e pessoas interessadas acima de 16 anos. Número de vagas: 10.

Eventos com a Cultura do Carnaval 

Oficina de Alegoria Carnavalesca com Nicea Corrêa – dia 28 de novembro - sábado, das 14h00 às 17h00, na sede da Cia. Corpos Nômades. Público alvo: interessados no assunto acima de 12 anos. Número de vagas: 20.

Eventos com a Cia. Corpos Nômades

Ateliê de composição coreográfica coordenado por João Luis Minelli Andreazzi e Cia. Corpos Nomades dia 21 de novembro, sábado das 14h00 às 17h00, na sede da Cia. Corpos Nômades. Público Alvo: bailarinos e atores interessados no tema. Numero de Vagas: 30.
 
Exposição de Fotos
 
Com imagens clicadas pelo fotógrafo Henk Nieman, que acompanhou desde 1999 o processo de pesquisa sobre o corpo nômade  com João Andreazzi , a exposição permanecerá  na sede da Companhia durante a temporada.
 
Inscrições -  por e-mail:ciacorposnomades@gmail.com  ou direto no locais onde acontecerão os eventos.
O LUGAR - Cia. Corpos Nômades
Rua Augusta, 325 - São Paulo -Brasil
Telefax: 55-11-3237-3224
www.ciacorposnomades.art.br
ciacorposnomades@gmail.com



SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
"PROGRAMA DE INCENTIVO A DANÇA PAULISTA - 2008"
 
 
   
AULAS DE DANÇA CONTEMPORÂNEA 
CORPO/INTÉRPRETE

  com  integrantes da Cia. Corpos Nômades, sob orientação de João Andreazzi.

Andreazzi criou esta aula de dança contemporânea a partir de experiências corporais vivenciadas desde os anos 80. A aula, fruto de um trabalho corporal que deu origem a uma linguagem de movimentos, foi elaborada em 1999, quando o coreógrafo retornou da Holanda, após dois anos de estudo na School for New Dance and Development. Esse trabalho que também deu origem à Cia. Corpos Nômades, surgida em 2000, e que carrega princípios da idéia do nomadismo na dança, tem os seguintes preceitos: permitir a fluidez do corpo pelo espaço utilizando o próprio impulso, sem ficar preso em contagens, formas, marcas; deixar o corpo experimentar o espaço externo e interno através do movimento. No escopo do curso há uma ênfase no trabalho de chão (floor work) e na técnica de expansão das articulações partindo da fonte do movimento, respeitando os órgãos e os sistemas do corpo. Por meio desse método, Andreazzi tem propiciado uma sólida formação a muitos artistas em dança contemporânea.

terça e quinta das 15h00 das 16h30                        

quarta e sexta das 10h30 às 12h00

 Desconto de 10 %  para classe artística e estudante. Maiores informações favor entrar em contato ou  no site da Companhia.

 

Aos interessados, atenção para:

 

3ª MOSTRA LUGAR NÔMADE DANÇA - 2010

Preparem-se para enviar os projetos (com vídeo do espetáculo) para a sede da Cia. Corpos Nômades - O LUGAR.

 

ASSISTAM TRECHOS DOS ESPETÁCULOS DA CIA. CORPOS NÔMADES: 

  O BARULHO INDISCRETO DA CHUVA:

 
 
ALGUM LUGAR FORA DO MUNDO: 
 
Confira a matéria e entrevistas com a Companhia Corpos Nômades no site da Cooperativa Paulista de Teatro, referente ao processo de montagem do Hotel Lautréamont- Os Bruscos Buracos do Silêncio:
 
O LUGAR -CIA. CORPOS NÔMADES

Rua Augusta, 325  - CEP- 01305-000

telefone-05511-32373224

e-mail: ciacorposnomades@gmail.com

www.ciacorposnomades.art.br

   Realização:

 

 

 


 6º Programa de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo  

  "Um espaço de reflexão, formação e criação em dança contemporânea . Pensado para abrigar aulas e apresentações das artes cênicas contemporâneas, com amplas salas e muito espaço para experimentos. "