quinta-feira, 24 de abril de 2008

Dança no Sul


hagah escreveu

apresentações em 

Curitiba - PR
Porto Alegre - RS
Itajaí - SC








As apresentações da dança típica acontecem com música árabe ao vivo e com cinco dançarinas, em um ambiente temático.
LOCAIS

Orion Lounge Bar

Avenida Água Verde, 
Vila Izabel - Curitiba
Telefone: () (41) 3015-5848
Telefone Secundario: () (41) 3019-5848

Sessões: [] - Terça, às 21h
Preços:R$ 5

de 22-04 a 26-08-2008
em Curitiba - PR


*  *  *



Ficha Técnica: 
Concepção, direção e performance: Ricardo Marinelli 

Olhar exterior e acompanhamento: Elisabete Finger 
Consultoria Sonora e produção musical: Gilson Fukushima 
Consultoria de Objetos de cena: Amábilis de Jesus 
Design de luz: Fábia Guimarães 
Conceito Visual: Aurélio Dominoni 
Colaborações Artísticas: Juliana Adur, Neto Machado, Ronie Rodrigues, Cláudia Washington e Léo Glück
Produção executiva: Ricardo Marinelli 



Da Nudez, da Mentira e da Cumplicidade é um dos atuais projetos de criação em Dança em desenvolvimento pelo coletivo Couve-flor minicomunidade artística mundial. Trata-se de um solo de Ricardo Marinelli e recebeu o Prêmio Klauss Vianna de fomento à dança 2007/2008 e vem sendo desenvolvido desde agosto passado, ocasião em que o couve-flor esteve em residência artística em Teresina-PI, junto ao Núcleo de criação do Dirceu. 
O projeto completo compreende a criação de um espetáculo, a realização de uma oficina de criação a partir do processo e a publicação de um caderno que problematize as questões propostas.

LOCAIS

ACT - Ateliê de Criação Teatral

Rua Paulo Graeser Sobrinho, 
São Francisco - Curitiba
Telefone: () (41) 3338-0450
Telefone Secundario: () (41) 3338-6189

Sessões: [] - De quinta a domingo, às 19h30
Preços:R$ 10 e R$5

de 24-04 a 04-05-2008
em Curitiba - PR


*  *  *



Coreografia (Criadoras-intérpretes) Mábile Borsatto, (Criadoras-intérpretes) Isabela Schwab , (Criadoras-intérpretes) Camila Chorilli, (Criadoras-intérpretes) Mariana Batista e (Criadoras-intérpretes) Juliana Lorenzi
DireçãoRosemeri Rocha
IluminaçãoÉrica Mitiko

O grupo de dança contemporânea da Faculdade de Artes do Paraná se apresenta no Sesc por meio do projeto Sexta Feira Cultural. O grupo é formado por 18 dançarinos entre alunos e ex-alunos e possui em seu repertório cinco obras significativas: Quíron (2002), Poiétikus (2003), O Universo Elegante (2004), Kaibalion (2005) e Spin (2006).

ATENÇÃO:
Agendar participação com antecedência pelo telefone (41) 3233-7422 ramal 2308 das 8h às 18h de 2ª a 6ª.

LOCAIS

Serviço Social do Comércio (SESC)

Rua José Loureiro, 
Centro - Curitiba
Telefone: () (41) 3222-4053
Telefone Secundario: () (41) 3233-7422

Sessões: [] - Sexta, às 19h

em 25-04-2008
em Curitiba - PR






DireçãoLu Favoreto


A Cia. Oito Nova Dança será a atração do Teatro da CAIXA Cultural de Curitiba  apresentando Trapiche - Um olhar contemporâneo para a memória de um povo. O trabalho envolve espetáculo de dança, exposição de fotos, exibição de vídeo e uma oficina. “Trapiche” nasceu como uma das ações sócio-culturais do Projeto Marujá, realizado pela Cia. Oito Nova Dança na Ilha do Cardoso (litoral sul de São Paulo). O projeto pesquisou o risco de extinção de tradições orais, arquitetônicas, musicais e de danças da região. 
Depois de 18 meses de estudo, o trabalho resultou na coreografia de “Trapiche”, que tem como mote principal a memória, promovendo, a cada encenação, um diálogo intercultural que evoca preservação e transformação. Na Ilha do Cardoso, trapiche é o lugar de chegada e de partida de pessoas, coisas e informações. Para a Cia. Oito Nova Dança, ele representa uma metáfora cênica integradora dos espaços da memória social que, fazendo valer sensibilidades estéticas, entra plasticamente nos universos erudito/popular e tradicional/contemporâneo. 
A criadora e diretora da Cia. Oito, Lu Favoreto, explica que, paralelamente ao projeto desenvolvido na comunidade do Marujá, o grupo ia se apaixonando pelo Fandango. “Fomos descobrindo sua poesia e sua força enquanto expressão de um povo, relacionada à realização de trabalho conjunto/mutirão e à celebração/pagamento deste encontro, que envolve dança e música características. A dança de casal nos trouxe o contato corporal, e a música ao vivo, com o batido, nos estimulou a olhar para a intersecção entre o músico e o dançarino, o som e o movimento, motes da nossa pesquisa”, completa ela. 
Exposição de fotos,  vídeo e oficina de dança 
Uma hora antes de cada espetáculo, a Cia Oito Nova Dança apresenta um vídeo com imagens da pesquisa de campo. Paralelamente, no hall do Teatro Caixa estarão expostas 38 imagens do fotógrafo José Romero, apresentando o processo criativo Trapiche. 
No sábado, dia 26, às 17 horas, será realizada a oficina Processo de criação Cia Oito Nova Dança – Trapiche. Com 30 vagas, ela é voltada a dançarinos, atores, performers, músicos e demais pessoas interessadas na dança e música como meio de expressão. A oficina é gratuita, tendo 30 vagas à disposição dos interessados. As inscrições devem ser feitas pelo fone 2118-5233.

MULTIMÍDIA
  »Outra cena do espetáculo Trapiche
LOCAIS

Teatro da Caixa

Rua Conselheiro Laurindo, 
Centro - Curitiba
Telefone: () (41) 2118-5232

Sessões: [] - Sexta e sábado, às 21h; Domingo, às 19h
Preços:R$ 10 e R$ 5

de 25 a 27-04-2008
em Curitiba - PR






Duas Na Cena

BailarinoDaggi Dornelles e Luciana Paludo

O espetáculo apresenta composições coreográficas de Daggi Dornelles e Luciana Paludo. 

Rosa dos Ventres é um trabalho que permaneceu longe do público durante sete anos, passando por diversas metamorfoses que o transformaram numa coletânea de impressões sobre a retidão e o radicalismo humanos, sob a ótica dos ventres, dos rebentos da inspiração, das lentes curvas e imprecisas por onde espiam os poemas e os amores. 

Criado em 2000 para o Festival "o melhor solo alemão", idealizado por Alan Platel, na cidade de Leipzig, teve sua estréia apenas em 2007, por ocasião da comemoração dos 30 anos de trabalho da bailarina, no Instituto Goethe de Porto Alegre. Em 2000, o convite para participar do festival veio num momento em que Daggi escolhia afastar-se dos palcos mergulhando intensamente em seus estudos de performance em ambiente urbano. Em sete anos, marcados por uma experiência diferenciada de relação com o público, outras idéias surgiram, o trabalho constante pelas ruas acrescentou informações e reflexões atualizando a relação com o momento do mundo. Tudo isto foi incorporado numa espécie de revisão coreográfica que vai além do movimento, significando uma releitura do mesmo em parceria com experiências promovidas pelo passar do tempo, e mesmo por sua ausência. 

Rosa dos ventres é parte do espetáculo O Tempo em Solo, que marcou 30 anos de trabalho da bailarina e recebeu 3 indicações ao Prêmio Açorianos de dança: melhor coreografia, melhor bailarina e melhor cenografia.) 

Os Humores do Poeta mescla coreografias, intervenções, performances, música e texto, sinalizando variações de atitudes que assumimos em diferentes estados de ânimo. Um espetáculo cuja inspiração é o corpo: seus estados, seus humores, e possíveis grafias deste poeta em movimento. 

O trabalho percorreu várias cidades do país, no ano de 2007, pela Caravana FUNARTE de Circulação Nacional. Em cada local, um convidado diferente promovia interferências, trazendo um pouco de sua personalidade e de seu "humor" para o espaço cênico. O encerramento do projeto, em Porto Alegre, contou com a participação de Daggi Dornelles, e deu início a uma nova fase, onde o refinamento de uma parceria estável passou a ser a fonte de novos movimentos e atmosferas.

MULTIMÍDIA
  »Os humores do poeta tem a participação de Luciana Paludo
  »Veja mais uma foto da coreografia
LOCAIS

Teatro do SESC

Avenida Alberto Bins, 
Centro - Porto Alegre
Telefone: () (51) 3284-2007
Telefone Secundario: () (51) 3284-2070

Sessões: [] - Quinta, sexta e domingo, às 20h
Preços:R$ 15

de 24 a 27-04-2008
em Porto Alegre - RS





CoreografiaVladimir Vasiliev

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil sob a orientação do lendário dançarino e coreógrafo do Bolshoi Vladimir Vasiliev apresenta a suíte Don Quixote. O espetáculo tem cem bailarinos em cena.

Don Quixote, de Marius Petipa, foi criado em Moscou em 1869, quando o coreógrafo francês pegou algumas partes da novela de Miguel de Cervantes e fez um libreto e coreografias com a música incendiária de Ludwig Minkus para o Teatro Bolshoi da Rússia. Petipa conhecia bem a Espanha e no seu Don Quixote reviveu o espírito das danças espanholas.

Poucos anos depois, em 1900, Alexander Gorsky, aluno de Petipa produziu novamente este balé. A produção obteve tal sucesso que existe até hoje com pequenas mudanças na coreografia e direção. Porém, está incluída no repertório da maioria das companhias de dança com fama mundial.

Gorsky conseguiu criar um Don Quixote muito democrático, alegre e cheio de cores. O balé sempre foi adorado pelos dançarinos porque mesmo os mais modestos membros do corpo de baile conseguiam pela primeira vez se sentir criadores e co-autores da peça. Cada qual tinha uma tarefa cênica concreta e sob sua discrição criava um mini retrato cênico da sua personagem.

Este espírito de improvisação dava uma especial originalidade às cenas de multidão emDon Quixote. Isto foi o que Gorsky deu a este balé, e foi o que Vladimir Vasiliev seguiu e desenvolveu mais ainda quando dançarino e agora ao produzir esta suíte para os alunos da escola do Teatro Bolshoi no Brasil.


MULTIMÍDIA
  »Don Quixote marca a formatura da 1ª turma brasileira escola russa de dança
  »O espetáculo conta com a presença de cem bailarinos
LOCAIS

Teatro Municipal de Itajaí

Rua Gregório Chaves, 
Fazenda - Itajaí
Telefone: () (47) 3349-6447

Sessões: [] - Quinta, às 20h30
Preços:Ingressos a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)

em 24-04-2008
em Itajaí - SC


Um comentário:

Ricardo Marinelli disse...

favor corrigir as infromações do esptáculo quase nu, de ricardo marinelli.

A ficha técnica correta é:

Ficha Técnica:
Concepção, direção e performance: Ricardo Marinelli

Olhar exterior e acompanhamento: Elisabete Finger
Consultoria Sonora e produção musical: Gilson Fukushima
Consultoria de Objetos de cena: Amábilis de Jesus
Design de luz: Fábia Guimarães
Conceito Visual: Aurélio Dominoni
Colaborações Artísticas: Juliana Adur, Neto Machado, Ronie Rodrigues, Cláudia Washington e Léo Glück
Produção executiva: Ricardo Marinelli